Category Archives: dicas

Classificação Decimal Universal – CDU on line

 A CDU – Classificação Decimal Universal, publicada no Brasil pelo IBICTpossui uma versão on-line no site da OCLC, onde é possível consultar uma seleção com cerca de 2.000 classes,  dentre as 68.000 disponíveis.

Está disponível em 46 línguas e o Português é uma delas.

Para bibliotecas que trabalham com CDU é uma boa ferramenta de consulta. Para quem está prestando concurso é um possível tema de questão. Para se aprofudar no assunto, recomendo o livro do Sebastião de Souza: CDU – Como entender e utilizar a 2ª Edição-Padrão Internacional em Língua Portuguesa, publicado em 2010.




O que devemos, no mínimo, ter memorizado são as classes principais da CDU, pois ajuda a resolver algumas questões e às vezes também são cobradas:

0 – Generalidades
1 – Filosofia e Psicologia
2 – Religião. Teologia
3 – Ciências Sociais
4 – Classe Vaga para futuras expansões
5 – Ciências Puras
6 – Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologias
7 – Artes. Passatempos. Música. Jogos. Desporto
8 – Língua. Linguística. Filologia. Literatura
9 – Arqueologia. Geografia. Biografias. História

 Este texto, da professora Ursula  Blattmann, da UFSC, é bastante completo e apresenta o histórico da CDU.

Abraços.

 

 

Site da Professora A. M. C. Memória Ribeiro

   A Professora Antônia Motta de Castro Memória Ribeiro, lançou em 2009 a quarta edição do livro Catalogação de Recursos Bibliográficos: AACR2 em MARC 21, que é uma boa fonte para questões referentes à catalogação em AACR2 no formato MARC, trazendo exemplos práticos. Serve de instrumento de trabalho para os bibliotecários de catalogação, em conjunto com o AACR2.

O livro é acompanhado de CDROM com exemplos práticos. Em seu site, http://www.amemoria.com.br, a professora esclarece dúvidas sobre catalogação, além de comercializar o livro.

 

Abraços.

 


Brapci – Base de Dados Referenciais de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação

Uma boa dica para quem precisa fazer pesquisas em periódicos nacionais sobre Ciência da Informação e Biblioteconomia é a utilização da Brapci – Base de Dados Referenciais de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação , desenvolvido pelo Diretório de Pesquisadores em Ciência da Informação, da UFPR. Disponibiliza a referência, resumo e texto completo  de quase 7.000 textos publicados no Brasil, em 35 periódicos:

Arquivística.net
Arquivo & Administração
Biblionline
BIBLOS – Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação
Brazilian Journal of Information Science
Cadernos de Biblioteconomia
Ciência da Informação
Comunicação & Informação

DataGramaZero
Em Questão: Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS
Enancib
Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação
Estudos Avançados em Biblioteconomia e Ciência da Informação
ETD – Educação Temática Digital
InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação
Inclusão Social
Infociência
Informação & Informação
Informação & Sociedade: Estudos
Informare: Cadernos do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação
Liinc em revista
Perspectivas em Ciência da Informação
Perspectivas em Gestão & Conhecimento
Ponto de Acesso
Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina
Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação
Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG
Revista de Biblioteconomia & Comunicação
Revista de Biblioteconomia de Brasília
Revista Digital de Biblioteconomia & Ciência da Informação
Revista do Departamento de Biblioteconomia e História
Revista Eletrônica Informação e Cognição
Revista Online da Biblioteca Prof. Joel Martins
Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação
Transinformação

Vale lembrar que o conhecimento de fontes de informação na nossa área também é cobrado em questões de concursos públicos.

Abraços.

Curso Gratuito: Direitos Autorais e Sociedade

Um tema constante no dia-a-dia do trabalho bibliotecário é o Direito Autoral, que muitas vezes também é objeto de questões em concursos.

A FGV  disponibiliza diversos cursos gratuitos on-line, dentre eles o de Direitos Autorais e Sociedade. O curso é de somente 5 horas, mas possui ótimo conteúdo sobre o tema, além de trazer bibliografia para leituras complementares. É inteiramente gratuito, bastando efetuar o cadastro no site para ter acesso ao conteúdo.


Programa:

Em Direitos Autorais e Sociedade, trataremos dos direitos da sociedade em relação às obras publicadas. Iniciaremos analisando o texto constitucional que dispõe sobre os ditames da justiça social, observando determinados princípios, dentre os quais se destaca a função social da propriedade.

A seguir, analisaremos as limitações aos direitos autorais, que são autorizações legais para o uso de obras de terceiros, protegidas por direitos autorais, independentemente de autorização dos detentores de tais direitos.

Finalmente, abordaremos que, com o surgimento de novas tecnologias, várias novas possibilidades de uso da internet vêm aparecendo, o que inclusive tem impulsionado o desenvolvimento de novos modelos de negócios, não só na música como em todas as outras áreas de manifestação cultural.

Com isso, o Brasil acaba por ficar à margem da comunidade internacional quanto às limitações e exceções previstas em favor do uso das obras por parte da sociedade.

Sob esse foco, a disciplina Direitos Autorais e Sociedade está estruturada em sete unidades, nas quais foi inserido o seguinte conteúdo…

  • unidade 1 – função social dos direitos autorais;
  • unidade 2 – limites legais;
  • unidade 3 – desafios tecnológicos;
  • unidade 4 – novos modelos de negócios;
  • unidade 5 – cenário cultural;
  • unidade 6 – autoavaliação;
  • unidade 7 – encerramento.

Acesse o site do curso

Abraços.

 

Curso MARC 21 – Formato Autoridade

A Divisão de Bibliotecas e Documentação da PUC-RJ é a responsável pela tradução do MARC 21 no Brasil e anualmente oferece cursos a distância sobre o tema.

Estão abertas as inscrições para o Curso Marc 21 – Formato Autoridade para 2012, na modalidade a distância. Um bom curso para se manter atualizado e em contato com um tema da nossa área que não é profundamente abordado na faculdade. Ajuda tanto no dia a dia da profissão quanto no preparo para concursos, pois muitos bibliotecários não dominam o MARC 21 e este é um tema sempre cobrado nas provas.

 curso-marc-21-autoridade

Período de Aulas

02/04/2012 a 01/06/2012

Este curso será realizado na modalidade a distância, por meio do ambiente virtual de aprendizagem AulaNet.

Objetivo

O curso MARC21 Formato Autoridade tem como objetivo proporcionar aos participantes conhecimentos teóricos e práticos básicos para a utilização deste formato na codificação de registros de autoridade.

Público Alvo

Bibliotecários, Analistas de Sistemas e Programadores que atuam em Sistemas de Bibliotecas, interessados em aprender o formato autoridade MARC21.

Carga Horária

Este curso tem carga horária de 80 horas.

Metodologia

•Distribuição dos conteúdos em tópicos e apresentados por meio de textos para leitura;
•Realização de exercícios de fixação ao longo do curso e no trabalho final;
•Esclarecimentos de dúvidas por e-mail, lista de discussão;

Programa

• Introdução;
• Informações Gerais: números e códigos, cabeçalhos nome e título uniforme;
• Cabeçalhos Tópicos, Subdivisões e Remissivas – conceitos;
• Cabeçalhos Tópicos e Subdivisões;
• Notas;
• Remissivas;
• Cabeçalhos de Equivalências;
• Campo de Controle 008.

Matrícula

Até 22/03/2012

Para maiores informações acesse o site do curso

Fui reprovado, o que fazer?

The Scream - Edvard_Munch

The Scream de Edvard Munch / fonte: wikipedia.org

Um assunto que pouca gente comenta é a reprovação em concursos. Ninguém gosta de gastar dinheiro com inscrição, estudar, acordar cedo para fazer uma prova por horas e no final não atingir a nota mínima de corte. É muito ruim ver aquela desagradável palavra ao lado do seu nome: desclassificado, não-aprovado, nota insuficiente, eliminado, reprovado… o termo varia de acordo com a banca, mas quer dizer a mesma coisa: você não atingiu seu objetivo.

Faz parte da vida de qualquer um ter insucessos e, por incrível que pareça, são saudáveis. Com eles aprendemos mais do que com as vitórias, pois através deles é que refletimos e mudamos. A reprovação é o sinal de que alguma coisa deverá ser corrigida: se você não foi aprovado é sinal de que a carga de estudos deverá ser aumentada ou melhor distribuída, pois não adianta ir bem em conhecimentos específicos e ficar reprovado por uma questão de interpretação de texto na prova de português.


Serve também como amadurecimento, pois os simulados e as provas que fazemos em casa não possuem a mesma atmosfera da sala do concurso, nem o nervosismo do momento. Em função deste nervosismo que recai sobre algumas pessoas durante a prova o desempenho é prejudicado e muitas vezes aparece o famoso “deu branco”. Na medida que fazemos mais provas, a rotina elimina quase que completamente o nervosismo. A reprovação só valoriza ainda mais sua conquista, o importante é não duvidar de si mesmo e nunca desistir devido a uma experiência ruim.

Uma máxima de um concurseiro famoso, William Douglas, resume muito bem isso:

Concurso não se faz para passar, se faz até passar!

Abraços.

Dada a largada para o concurso do Senado Federal

Fonte: Wikipedia.org

Em 2008 o salário para bibliotecário no Senado era de R$ 9.580,50, o que atraiu bastante gente e fez a relação candidato/vaga para bibliotecário ser de 163/1. Com a divulgação da autorização do Sarney para a realização de um novo concurso, tem muito bibliotecário sonhando em trabalhar em Brasília, já que a remuneração inicial  de um analista legislativo atualmente gira em torno de impressionantes  R$ 18.500,00. Apesar de a tabela do concurso oferecer somente 2 vagas, existe a possibilidade de convocação de outros candidatos aprovados, já que não é incomum a aposentadoria de bibliotecários em órgãos antigos, onde a faixa etária é maior. Segundo tabela publicada pelo Senado, em 31/08/2011 existiam 10 vagas desocupadas para Analista Legislativo – Especialidade Biblioteconomia. É claro que não podemos garantir que todas estas vagas serão preenchidas futuramente, pois isto depende de uma série de fatores, mas já é um bom indício.



Como ainda não foi definida nem a banca que será responsável pelo certame, ainda existe bastante tempo para se preparar, lendo o conteúdo de biblioteconomia, português, conhecimentos gerais e idiomas, temas do último concurso.

Reveja a prova anterior, realizada pela FGV (2008).

Acompanhe as discussões sobre o concurso do Senado no Fórum.

Abraços.